<$BlogRSDUrl$>

quarta-feira, outubro 08, 2003

Filhos de Ministros 

O filho de um ministro qualquer, por exemplo dos Negócios Estrangeiros, ao telefone com o filho de outro ministro ao calhas... por exemplo o da Ciência e Ensino Superior:
- Então, que tal vai isso?
- Está tudo Bem! Sabes... decidi ir para Medicina.
- Para medicina? Mas decidiste isso assim de repente?
- Foi... lembrei-me ontem!
- E já falaste com o teu pai?
- Não, falei com o teu!

Exageros e forcados 

Ontem fomos jantar ao Zé Boieiro, que além de uns apetitosos grelhados, disponibiliza um fantástico e escorregadio maduro branco da casa. Feita a publicidade e indo ao que interessa, o caso é que bebemos um pouco além da conta e quando nos levantamos para sair, tivemos que nos certificar que as paredes estavam no sítio e bem seguras. Depois, percorremos as estreitas ruas de Alcochete uns decibeis acima do nosso nível habitual e com a saborosa mas perigosa sensação de invulnerabilidade.
- Olha, hoje há tourada! - disse eu deparando-me com um enorme cartaz.
- Nunca vi nenhuma, deve ser engraçado! - UR colocava as mãos à frente da sua já generosa barriga, talvez tentando influenciá-la à redução.
- F#$%-se, engraçado? Engraçado era ver o Pinto da Costa com uma coroa de bandarilhas no cu, isso eu até aplaudia de pé! - UA é um daqueles anti-portistas doentes, que prefere ver o fêcêpê perder que o seu clube ganhar, enfim...
- Eu também não vejo piada nenhuma nas touradas! - Sou um anti-touradas primário, ontem com um discurso um pouco exacerbado, pelo efeito do maduro.
- É uma crueldade com os bichos e um espectáculo inadmissível nos tempos modernos. - continuava eu imparável.
- É melhor estares calado ... - alguém ouviu as minhas críticas e parecia que não tinha gostado.
Quando me apercebi, os meus dois corajosos comparsas já estavam longe de qualquer azar e eu encontrava-me quase rodeado por cerca de sete fervorosos adeptos da actividade taurina.
- Então, diz lá a tua opinião sobre os touros... - O mais forte dos mestres taurinos tentava intimidar-me.
- Aprecio-os bastante, mas aqui para nós, fortes, pretos e peludos não são o meu género. - procurava ganhar a simpatia deles.
- Tás a reinar com o people? Tu falas à tripas... já te tiramos a pinta... fizemos Jackpot... com uma pega apanhamos dois touros. - A coisa não estava a correr nada bem e tinha cara de piorar, já que pelas características roupas, apercebi-me que os indivíduos eram nada mais que os forcados amadores de Alcochete.
- Diz lá my men, tens medo de nos mostrar a tua opinião? Não sabia que os tripeiros não os tinham no sítio. - Há alturas em que um tipo se deve calar, pedir desculpas e andar. Eu só fiz uma delas:
- Eu estou sempre a torcer para que o touro vos parta o focinho! - gritei eu, enquanto saía à francesa e fazia a corrida da minha vida pelas labirínticas ruas da cidade em direcção ao hotel.
Quando cheguei, além de estourado, o suor escorria-me sem parar, mas os meus dois amigos estavam despreocupada e confortavelmente instalados no sofá, a passar os olhos pelos jornais do dia.
- Hão-de pagar-mas - murmurei eu sem lhes dirigir a palavra e chamando o elevador.
- Pensava que vinhas connosco ... - ainda ouvi UA, antes da porta fechar.

Abraham Lincoln 

Li num site Judeu/Americano, que o facto de não considerarem Ariel Sharon um criminoso de guerra, era porque se assim fosse, também Abraham Lincoln teria que o ser, já que: "Ordenou e encorajou a limpeza étnica dos índios americanos e assinou a sentença de morte de 38 sioux acusados de participar numa Intifada contra americanos no território Lakota, agora chamado Minnesota".
1º - Não tenho qualquer antipatia pelo povo judeu, nem por qualquer outro povo com a excepção da raça alfacinha, mas não vou à bola com o senhor Sharon. Também não sou pro-americano e confesso que sou mais a atirar para o desconfiado.
2º - Lincoln viveu há 150 anos atrás e sem defender os seus actos bárbaros e cruéis que chacinaram os índios, penso que durante este tempo a humanidade evoluiu de tal forma a níveis tecnológicos e morais que os actos horrendos do século XIX, que já não eram aceitáveis na altura, tornaram-se inconcebíveis nos dias que correm.
3º - Ao utilizarem a palavra Intifada, estes senhores estão a fazer ponte com o que se passa na palestina e a reconhecer implicitamente que tal como os índios tinham direito à sua terra, os palestinianos também a têm.
4º - Sempre tive simpatia por Lincoln, especialmente por ter sido o responsável pela derrota dos poderosos e abastados senhores do Sul durante a guerra civil Americana, pela criação de um governo: "of the people, by the people, for the people" e mais importante que tudo pela abolição da escravatura nos EUA em 1863 .
5º - Entre Sharon e Lincoln o único ponto em comum que consigo vislumbrar é que tanto um como o outro têm admiradores e defensores confessos dentro do actual partido republicano.

terça-feira, outubro 07, 2003

Ankle: Extensão .fdp 

Para fazer poesia, para além de uma inspiração doentia e um domínio completo das palavras, é necessária uma paciência que confesso não tenho.
Ankle enviou-me uns versos da sua autoria, ao melhor estilo de Bocage, tocando num ponto sensível da nossa sociedade e que atormenta milhões de pessoas em todo o mundo: Haverá pior chefe do que o meu?

"(Sentida homenagem dos membros da família a todos os chefes do mundo! RIP!)

Já andam cheiros no ar,
Nauseabundos, putrefactos:
O chefe hoje vai falar!
Fertilizar! (em três actos!).

Omnisciente presença,
Para que santo é que pede?
Donde vem tanta fedença?
Mas por que é que chefe fede?

Que deserto, que aridez,
Que caga-lume apagado,
Diz que faz, melhor, que fez!

Diz que já fez (nalgum lado),
Que ninguém lhe tira a vez!
(Chefe é bom, se degolado!...)"

Mais nada!

Quem são os desterrados? Episódio I: UA 

UA é o mais experiente do bando, uma mistura saudável entre o Tony, de "Chefe mas pouco" com o tipo que lia a Abola no "Duarte e Companhia". Homem de Amarante, carismático, pontual como um relógio adiantado e apologista do sempre belo:
- A mim só me f#$%& uma vez!
É também conhecido pelas suas fantásticas expressões populares... Lembro-me do que dizia aqui há uns anos quando me metia com ele, tentado a tirá-lo do sério:
- Ó Anibal, tu já me viste mijar?
Amigo do seu amigo, nunca deixa ninguém sem uma palavra de conforto nas horas mais complicadas. Também me recordo como se fosse hoje, quando eu andava preocupado, não sabendo se iria ter um prémio anual e ele veio ter comigo, pôs-me o braço à volta do pescoço e descansou-me:
- Tem calma, Anibal! Não te preocupes, sabes o que é que vais ter? Vais ter o mesmo que a Maria teve no meio do centeio...
Com amigos assim ...

Goethe 

Johann Wolfgang von Goethe, poeta alemão do século XVIII escreveu estas palavras dignas de uma reflexão saudável:

"Todos os dias deveríamos ler um
bom poema, ouvir uma linda canção,
contemplar um belo quadro
e dizer algumas bonitas palavras.

Pensar é mais interessante
que saber, mas é menos
interessante que olhar."

P.S. Adicionei um link à barra direita do Blog, CONverSOS, que é uma página fantástica e que merece uma visita.


segunda-feira, outubro 06, 2003

Trabalhos forçados 

O meu amigo UA, enviou-me um email carregado de significado e que merece uma reflexão serena:

"Aquele que, ao longo de todo o dia:
É activo como uma abelha,
Forte como um touro,
Trabalha que nem um cavalo,
E que ao fim da tarde se sente cansado que nem um cão.
Deveria consultar um veterinário.

É bem provável que seja um grande burro!"

Uma grande salva de palmas para ele.

Santana Lopes encontrou-me 

Andava a passear pela capital, muito descontraído, a meditar nesta dicotomia Norte vs Sul, a tentar perceber porque é que eu não gosto de Lisboa quando sou confrontado com uma grande placa que diz o seguinte;
- "Já reparou que esta rua tem um pavimento novo?" - Eu confesso que fiquei bastante atrapalhado e por momentos pensei que já ia levar com uma pesada multa. Não me podia distraír, tinha que estar mais atento a estes pormenores, o pessoal ali não era para brincadeiras. Já me preparava para continuar, quando alguém me toca ao de leve no ombro e eu apanhei, o que se costuma dizer na minha terra, um cagaço do carago.
- Peço desculpa! - Na minha frente, nada mais nada menos que o Dr. Santana Lopes em carne, osso e brilhantina. Engoli três vezes em seco e não sabia o que dizer ao homem.
- O senhor não viu que esta rua tinha pavimento novo? - o tom austero da interrogação misturava-se com um sorriso inebriante a descair para o idiota.
- Eu nunca tinha passado nesta rua! - Desculpei-me, sentindo o bacalhau na brasa a ganhar uma nova vida no meu estômago.
- Claro e o senhor quer que eu acredite nisso? - O sorriso passou para uma gargalhada completamente petrificante ao mesmo nível de um bom filme de terror.
- O senhor é filiado no PPD-PSD? - perguntou assumindo novamente o ar circunspecto.
- Bem! Quer dizer, assim de repente... Não! - Não sabia o que responder, optei pela verdade.
- Já votou em mim alguma vez? - Acho que ele estava a tentar safar-me a multa, mostrei simpatia.
- Ainda não tive esse prazer.
- É do Sporting Clube de Portugal?
- O senhor não me deu essa graça.
- Pelo menos, gosta da noite?
- Sim, claro que gosto, acho-a formidável para dormir.
- Porra, mas afinal tem alguma qualidade que se aproveite? - O homem já se estava a descontrolar um pouco e eu abri o jogo:
- Sou do Porto!
O homem esvaziou! Nos olhos pude ler o pânico que lhe ia na alma como se eu fosse Jack o estripador e ele uma bela donzela ou como se à sua frente estivesse um daqueles terríveis gauleses que devoram a poção mágica.
- O que está aqui a fazer? - Balbuciava as palavras, sem conseguir soletrá-las com eficácia.
- Bem, vou ficar desterrado nesta lugar durante algum tempo, talvez 3 meses! - disse com simpatia
- Então se não é definitivo, vá lá à sua vida e aqui entre nós...esta conversa nunca aconteceu. - Enquanto falava a voz parecia fugir-lhe. Virou-me as costas ainda a cambalear e tal como apareceu, num instante deixei de o ver.
Boa gente estes lisboetas.

This page is powered by Blogger. Isn't yours? Weblog Commenting by HaloScan.com