<$BlogRSDUrl$>

sexta-feira, dezembro 12, 2003

Manchester United... 

Nistelrooij... Ronaldo... Keane... Giggs... não me metem medo!
A estreia do Estádio do Dragão em competições europeia... ser contra o Manchester, é um sonho! Até os comemos, carago!

Sorteio da UEFA Champions League 

Venha quem vier... será de igual para igual... e iremos vencer.
Desejo também muita sorte ao Benfica... que evite o Barcelona e o Marselha!

quinta-feira, dezembro 11, 2003

Prinz... muito boa... jogadora 

O Perugia não desiste de contratar uma mulher para o seu plantel masculino. Depois da recusas das suecas(Hummm) Victoria Svensson e Hanna Ljungderg, Luciano Gaucci o excêntrico presidente, vira-se para a alemã(!!!!!) Birgit Prinz. Segundo palavras do próprio:
- "É muito bonita e tem uma bela figura. Como jogadora é muito boa".
Desculpem-me não me preocupar com mais nada... mas com a hipótese de uma mulher entrar sozinha num balneário masculino, não consigo pensar em mais nada que não seja:
- Onde é que vão colocar os tachos e o fogão?

Automóveis pirómanos... 

O Governo vai criar um novo imposto sobre os combustíveis... para financiar a reflorestação do país (ecotaxa).
Quando parar de rir... não vou achar piada nenhuma a mais esta cagada.
Porque não criar um imposto sobre os políticos... para financiar a erradicação dos coliformes fecais (MERDA) dos nossos rios?
A relação era mais directa...

Ops... não era bem ali! 

Como funcionará a cabeça de um piloto, mesmo que seja por acatar ordens, que mata dezenas de crianças, como aconteceu no Afeganistão. O alvo é decidido a niveis superiores... mas foram eles que deram o último toque... carregaram no botão.
Depois de se aliviarem... regressam à base e são informados:
- Parabéns... mataste 6 crianças.
Ou os tipos são máquinas de extermínio e cagam no assunto... ou nunca mais vão ter paz para o resto da vida.

Baía à Selecção 

Acho que o Ricardo é um excelente guarda-redes... honra a camisola um das quinas. Mas as últimas exibições do Vitor Baía têm sido fantásticas. Trazem-me à memórias as defesas impossíveis com que me presenteava, antes de abalar para a Cidade Condal.
Na terça-feira, depois do Real-Porto, fui jogar bilhar a um bar em Alcochete... sem surpresa, lá estavam os três guarda-redes do Sporting: Ricardo, Nelson e Tiago... Não estava eufórico pelo empate do Porto... estava era tocado pelo maduro de pressão do Zé Boieiro. A cada bola que, miraculosamente, enfiava num dos seis buracos, eu gritava:
- GRANDE BAÍA!
À primeira e à segunda... o ex-pantera ainda me ignorou, mas às duas por três olhou para trás e atirou-me um daqueles olhares à matador. Nessa altura apeteceu-me fazer o mesmo gesto que o Costinha fez em Guimarães... mas contive o ímpeto e limitei-me a voltar a gritar:
- BAÍA!

quarta-feira, dezembro 10, 2003

Morte... isso existe? 

Não tenho medo da morte... não me lembro de ter. Assusta-me a dor, a doença... e sobretudo a morte e o sofrimento de quem amo.
Não acredito na morte mesmo morte... não faz sentido. Morrer seria... o fim! Se morresse hoje e se isso fosse realmente o fim, não lamentaria o meu desfecho... ao invés pensaria:
- Deus injusto! Porque é que tive direito a trinta anos de felicidade enquanto milhões de crianças em África têm dois, três... quatro de sofrimento e miséria? Que lei divina é essa que favorece uns e prejudica outros?
Quando penso nisto... chego sempre à conclusão que tenho duas saídas para a minha meditação: Ou acredito em Deus e na sua justiça ou acredito na morte unilateral... sem regresso.
Não acredito na morte... não faz sentido.

terça-feira, dezembro 09, 2003

Dead Poet Society 

Ontem, revi no Gallery o Clube dos Poetas Mortos, filme que me marcou bastante quando o estreei... ainda catraio. O apelo à liberdade de pensamento... o corte das amarras que nos prendem aos ideais dos outros... o grito da revolução intelectual: "Carpe Diem", as palavras de Thoureau: "Sugar o tutano da vida", ou seja, desfrutar daquilo que nos faz felizes... ainda me fazem pele de galinha. No final, quando os discípulos de Keating, após o seu despedimento, se colocam em cima das secretárias(no sentido estrito) e gritam: "Oh Captain my captain" afirmam para quem os quer ouvir que, por exemplo, matar Luther King, não é matar a luta contra o racismo... não é morte do capitão que fará afundar o navio.
Não há nada que se possa opor ao curso da liberdade: "it was always thus, and always thus will be".

Pai Natal... para quê? 

No Domingo ajudei o meu filho de 3 anos a escrever a carta ao Pai Natal. Começou por me ditar uma série interminável de artefactos do Peter Pan, de quem é fan número um... sem saber o que pedir mais, quase implorei que requisitasse algo para os meninos pobrezinhos... com alguma relutância, lá se dispôs ao facto. Logo a seguir surpreendeu-me:
- ... e queria que o Tio Nuno ficasse bom!
Com os olhos raiados de tristeza e orgulho... fiquei arrasado e desiludido pelo Pai Natal ser uma invenção da sociedade de consumo e não uma realidade que satisfizesse os desejos mais nobres e altruístas das crianças.

This page is powered by Blogger. Isn't yours? Weblog Commenting by HaloScan.com