<$BlogRSDUrl$>

quinta-feira, fevereiro 19, 2004

O Seleccionador sou eu! 

Tiro de caras o Rui Jorge... e ponho o Valente!
Gostei do Petit... fez lembrar os tempos do Boavista! A continuar assim é titular... a equipa ganha muito com Paulo Ferreira de costas quentes! Maniche no banco...
Rui Costa... não jogou mal, mas o meio campo parecia outro com Deco em campo! Portugal deixou de depender dos alas para criar jogo e a sua capacidade de penetração, abriu espaços que ninguém soube aproveitar!
Equipa: Ricardo; Paulo Ferreira; Fernando Couto (grande jogo); Jorge Andrade; Nuno Valente; Costinha; Petit; Deco; Figo; Simão; Pauleta.
Banco: Baía; Ricardo Carvalho; Maniche; Tiago; Rui Costa; Ronaldo; Nuno Gomes;
Bem... acho que é chegada uma altura em que independentemente das nossas opiniões pessoais... temos que nos unir em torno da Selecção! Ainda trabalhava na minha antiga empresa quando acompanhei pela rádio, juntamente com os meus colegas, o resultado da decisão da UEFA sobre o país anfitrião do Europeu de 2004... o escritório quase veio abaixo quando se ouviu o nome: PORTUGAL!
Este é um momento único para todos os que gostam de futebol em Portugal... vamos aproveitá-lo e deixar as divergências para um dia de granizo! Eu também não concordo com grande parte das decisões do Scolari... insurgi-me com muitas das suas declarações, mas... ele é que está à frente da equipa de todos nós e eu tenho que lhe desejar todo o sucesso possível! O sucesso dele é o sucesso de Portugal!
Bamos lá, cambada!

quarta-feira, fevereiro 18, 2004

Toda a gente! 

"No convento caga a Freira,
O Algarve na falua,
O pobre caga na rua,
O mochila na cocheira.
Também caga a cozinheira,
Cagam moças, cagam amas,
Cagam mariolas e damas,
Cago eu e cagas tu,
Não só caga quem tem cu,
Também caga quem tem mamas."

Poeta desconhecido (possivelmente com prisão de ventre)

Os padres e eu - II 

Nos meus tempos de catequese... os dois miúdos mais rápidos a chegar à igreja, tinham a honra de subir com o padre ao altar e ladeá-lo nos actos ecuménicos.
Num desses sábados, eu e o Acácio fomos os primeiros... vestimos uma farda angelical, pegamos numas candeias em brasa e entramos no templo onde ecoava o som de um coro foleiro...
À minha frente... uma igreja repleta! Sentia o suor a escorrer pelos sovacos, uma dor nervosa na barriga e uma dificuldade em respirar: Tanta gente! Olhei para o meu amigo Acácio e um sorriso aberto na sua tez morena deu-me mais confiança!
Tudo parecia correr pelo melhor... até que o senhor abade, pelo meio do inflamado discurso, apertado pelas cólicas intestinais... soltou um ruído estranho vindo das profundezas do seu abençoado corpo... um sonoro peido!
Tentei com todas as minhas forças controlar o meu ímpeto... mas quando olhei Acácio nos olhos, não contivemos as gargalhadas perante os olhares escandalizados dos crentes!
O Sacristão subiu ao altar e empurrou-nos para dentro da sacristia, onde para além de nos esticar as orelhas... ameaçou a nossa alma com a mão pesada e punitiva do Cristo!
Nunca mais pude ser acólito na missa... que pena!

terça-feira, fevereiro 17, 2004

Os padres e eu - I 

Quando era catraio, as freiras obrigavam-me a confessar as malandrices ao senhor vigário (adoro este termo)... eu era um pouco traquina mas despejava sempre a mesma ladainha inocente! Certo dia, andava pelos oito anos... munido da minha espada de mosqueteiro(era carnaval), abri a cabeça loura de uma coleguinha que apreciava chatear-me a pachola! Como é evidente levei uma monumental trepa das bondosas freiras que de seguida ainda me enfiaram no confessionário. Estava com uma vontade louca de partir tudo... quando ouvi a voz profunda do padre:
- O que fizeste de tão grave, meu filho?
- Vi a madre superiora de cuecas...
O padre esteve mais de um minuto a tentar conter o riso e com bastante dificuldade conseguiu dizer:
- Vai-te embora... vai-te embora!

Os símbolos de Deus 

A proibição de uso(ostentação) de símbolos religiosos de qualquer tipo nas escolas públicas francesas é um daqueles assuntos que me confundem as ideias:
A minha primeira reacção é de revolta: Como é que pode ser? Estão a mexer com a liberdade das pessoas... se não posso usar o hidjab(causa da aplicação da lei), também têm que proibir barbas compridas, crucifixos, kippas e outros símbolos! Mas então o que é um símbolo religioso? Claro que não concordo com a uso obrigatório de determinados artefactos que algumas religiões preconizam, mas... as pessoas é que decidem de que forma se querem relacionar com Deus!
Mas é aqui, neste ponto que o meu primeiro ímpeto começa a vacilar! Ninguém é livre no seu relacionamento com Deus... obrigado a vestir-se ou a comportar-se de determinada forma... a liberdade religiosa deveria começar em casa e só depois é que deveria ser transferida para a sociedade! Ora bem, como na mente de muitos pais é muito complicado aceitar que o seu filho possa escolher um caminho diferente... há-de chegar uma altura em que a sociedade precisa dizer... CHEGA! A nossa liberdade de consciência acaba... quando exigimos que os outros pensem da mesma forma! Não sei se esse momento já chegou...
O que me assusta na maior parte das religiões, católica incluída, é a intransigência e obsessão em deitar amarras à capacidade dos crentes pensarem!
Mas... os Franceses estão a arranjar lenha para se queimarem...

segunda-feira, fevereiro 16, 2004

Passatempos Políticos 

A luta pela cadeira de candidato presidencial da direita... ameaça tornar-se um jogo de xadrez:
Cavaco, o Rei... anda muito devagar, mostrando-se... escondendo-se!
Santana, a Rainha... mexe-se para todo o lado, devorando o que lhe aparece à frente... quer fazer Xeque-Mate ao Rei!
Marcelo, o Bispo... desloca-se na diagonal, não belisca o Rei mas tenta fazer a folha à Rainha.
Paulo Portas, o cavalo... movimenta-se de uma forma estranha, mas se a rainha cair... ele tem que avançar!

Adivinhar o candidato presidencial da esquerda... parece palavras cruzadas:
Antigo primeiro-ministro, adepto do diálogo e que não sabe fazer contas... 8 Letras.

Viagem à velha Roma 

Mais uma aventura nas profundezas da nação! No Coliseu, mais conhecido por circo vermelho, os imperadores rivais, sentados lado a lado, uniram-se, exigindo com o polegar voltado para baixo o massacre dos provincianos que ousaram combater os dois clubes de "dimensão nacional"!
Os leões, feridos no seu orgulho e nas suas camisolas pelas garras dos vorazes tripeiros, aguardavam nas suas modernas jaulas por um pequeno milagre que despertasse o sonho!
A velha águia... símbolo de um poder ariano e imperial, gritava agoniada, faminta... envergonhada, após vários anos de um cerco impiedoso e cruel!
Do norte... indomáveis, quais gauleses em posse da poção mágica, com uma desmedida ambição... quais Cartagineses querendo conquistar Roma, chegavam aos magotes e trambolhões os assim chamados... murcões! Se das suas conspurcadas bocas se ouviam alguns impropérios populares... das mentes dos milhares e milhares de romanos nada mais se escutava do que um grito tímido, abafado e merdoso, digo medroso: "Hannibal ad portas"! (Sempre apreciei Cartago e tenho um fascínio incrível por... Aníbal! Juntando Alexandre... são os meus herois de juventude e companheiros inseparáveis de noites sem dormir!)
Aquela já não era a mesma Roma que assustava só de nome! Já não era o mesmo povo que vencia só por querer... o sentir de Cartago, a irreverência selvagem dos Hunos fundiam-se nos bárbaros tripeiros... um sentimento que acagaçava o império: O espírito do Dragão... o orgulho em ser do Porto!
Aos Romanos, já não ambicionava ganhar... apenas sentir que poderiam vencer! Assim... Roma deixou de ter assunto! É preciso procurar nas velhas terras britânicas outro povo para combater e conquistar...

This page is powered by Blogger. Isn't yours? Weblog Commenting by HaloScan.com