<$BlogRSDUrl$>

quinta-feira, março 18, 2004

Porto-Benfica... Final de 1980... 

Porto-Benfica na final da taça... o mais longínquo jogo de futebol que consigo alcançar na minha humilde memória é a final da Taça de Portugal em 1980... Benfica-Porto no Jamor!
Com apenas 5 anos de idade... o meu pai pegou em mim e levou-me de comboio até Lisboa! Nunca tinha ido à Capital, nem sabia o que isso significava! Depois de um jejum de 17 anos o Porto tinha conquistado 2 campeonatos consecutivos... uma equipa onde pontificava Gomes, o cabecinha de ouro! Sem esforço ainda consigo pronunciar o nome de alguns jogadores: Fonseca, Gabriel, Lima Pereira, Murça, Rodolfo, Freitas, Costa, Seninho e claro... Fernando Gomes. Uma legião de tripeiros moralizados acompanhou a equipa... invadimos Lisboa! Parece que ainda hoje carrego por entre o mar azul, a minha pequena e simples bandeira e o equipamento completo do meu clube que envergava com enorme orgulho!
O jogo... bom, do jogo não me recordo muito bem! Lembro-me de um estádio repleto, toda a gente de pé... o meu pai carregou-me nos braços durante hora e meia! Ficamos no topo Sul que misturava adeptos portistas com adversários... não havia divisão de claques como agora... duas situações marcaram-me de forma especial:
- O golo do Benfica... não sei quem o marcou, mas a festa e o barulho que se seguiram foram tão fortes que ainda os recordo.
- Os insultos que o meu pai e os restantes adeptos da invicta proferiram ao árbitro.
Conta-me ele que, às tantas, o Carlos Manuel prega um murro no Lima Pereira à frente do juiz de jogo... este dá ordem de expulsão ao jogador encarnado... o Humberto Coelho protesta de forma agressiva... o homem do apito dá o dito por não dito e permite a permanência do jogador em campo.
No final do jogo a explicação oficial era: "Foi melhor assim... o espectáculo não ficou estragado!"
O jogo não se estragou... perdemos 1-0! O 25 de Abril ainda não tinha chegado ao futebol!

terça-feira, março 16, 2004

Os cagões do costume... 

Ainda sobre a indignação de alguns cagões, a comer chapéus pelo sentido de voto dos Espanhóis...
Lembrei-me do meu professor de história... o Escaleira! Mais magro que um iogurte dietético, com mais rugas que a Cinha Jardim, ainda mais baixo que o Marques Mendes... fumava como um camião! O Escaleira, ao contrário do que aparentava era um gajo simpático e dava aulas de uma forma que me colava à cadeira... sempre adorei história, especialmente histórias da história.
Contou-me ele que certo dia, Winston Churchill e Estaline encontraram-se numa cimeira qualquer... o Inglês um pouco abatido confidenciou ao ditador que andava preocupado porque estava convencido que iria perder as eleições que se aproximavam!
Pergunta óbvia de Estaline:
- Então porque é que as faz?

Quem tem medo? 

Levantam-se com dificuldade do cadeirão, largam as memórias de Cavaco numa página qualquer, colocam o charuto na borda do conspurcado cinzeiro, esfregam a face à procura de um piolho perdido e proclamam: "Medo... a vitória de Zapatero foi uma cedência ao medo! Os assassinos venceram, a Europa está a mercê do terror"!
Grito:
- Mas que porra! - deixo a retrete e parto em busca de papel higiénico!
(...)
Já cá estou...
Apetece-me chamar a esses borrados... uma corja de CAGÕES:
Medo tem... quem enfrenta o perigo com a vida dos outros!
Medo tem... quem manda matar inocentes por achar que se vai sentir seguro!
Medo tem... quem mente, manipula e aldraba a opinião pública!
Medo tem... quem inventa factos para forjar uma guerra!
Medo tem... quem fala do medo e insiste que outros o tenham!
Os Portugueses não têm medo... os Espanhóis não têm medo... os Europeus não têm medo! No Domingo os "Nuestros Hermanos" não deram o cu aos terroristas... gritaram-lhes aos tímpanos que a liberdade e a democracia são uma coisa tão linda que lhes permite correr com aqueles que mandam neles... que lhes deixa escolher a forma como querem lidar com os problemas... que lhes dá a possibilidade de serem o verdadeiro governo de um país!
A violência que usarmos contra os terroristas... será usada contra nós! Vai ser preciso usar alguma violência, por isso não desperdicem as nossas vidas com ataques estúpidos como no Iraque!
Que se combata a fonte do problema... a discriminação, o choque entre o nível de vida Europeu/Americano e o dos países de África e Médio Oriente... dêem terra aos Palestinianos...
O terrorismo é uma misteriosa hidra... se lhe cortarmos apenas uma das suas cabeças... ela voltará a nascer com mais raiva e ainda mais sedenta de vingança!

segunda-feira, março 15, 2004

Que Az(n)ar... 

Os forjões da verdade foram banidos do governo Espanhol... espero que os Britânicos e principalmente os Americanos possam aprender alguma coisa com este exemplo!
Os Espanhóis gritaram bem alto: Os fins não justificam os meios! Com uma simples cruz exprimiram o seu desagrado e revolta por verem o nome da Espanha conotado com aqueles que mentem em nome da liberdade, manipulam em nome da democracia e matam em nome da segurança!
Volto a meditar na guerra do Iraque... como o terrorismo pode ser combatido com morte indiscriminada? Sem dar solução ao problema da Palestina? Sem estancar a pobreza galopante que ameaça os países da Europa Ocidental com uma invasão de emigrantes ilegais?
Os Europeus e os Americanos, para sua própria segurança, têm que se preocupar menos com o inexpugnável umbigo e tratar com maior carinho e solidariedade os povos que não dispõem do mesmo nível moral/tecnológico/financeiro... caso contrário, um mártir é uma bomba tão fácil de se conseguir...

This page is powered by Blogger. Isn't yours? Weblog Commenting by HaloScan.com